Pages: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 >>

10/11/17

Permalink 03:39:20 pm, by CLS Brasil Email , 675 words   English (US) latin1
Categories: News

Você leva a sério seu curso de inglês?

NA APRENDIZAGEM DE UM IDIOMA – UM IMPORTANTE ASPECTO DA METODOLOGIA COMUNICATIVA.

Autor: Sérgio de Andrade Sanches – Docente do Idioma Inglês. Diretor de Cursos da CLS – Canadian Language School.

O que é aprender um idioma? Essa pergunta recorrente pode ser respondida com apoio de estudos e pesquisas realizadas ao longo dos últimos anos por linguistas aplicados.

Segundo esses especialistas, a aquisição de um idioma é o processo pelo qual uma pessoa aprende uma segunda língua ou uma língua estrangeira estando em contato e exposta ao seu uso, diferenciando-se do aprendizado, que está ligado ao modo como o aluno tenta entender o uso dos significados e usos das palavras, regras gramaticais, entre outros aspectos da língua (Krashen, 1982 e Richards, 1985).

Deste modo, entendemos que aprender um segundo idioma envolve duas vertentes, a aquisição natural e o aprendizado formal. Para um adulto, mostram os estudos em linguística aplicada, que as duas formas são perfeitamente compatíveis, uma complementando a outra, dentro de uma mesma metodologia de ensino.

De qualquer forma, sob a perspectiva sóciointeracionista (Vygotsky (1998) da aquisição da linguagem, percebemos que o aluno deve ser o centro das atenções nas aulas de Língua Estrangeira, tendo o professor o importante papel de facilitador.

Entendendo que o aluno é o centro das atenções, de acordo com Holec (1995) e Benson (1981), devemos também compreender que o papel do aluno como responsável por seu aprendizado é de extrema importância.

Do mesmo modo, de acordo com Dam (1995), para que os alunos desenvolvam sua autonomia, é necessário que sejam responsáveis pelo seu aprendizado.

De posse de tal informação, conclui-se que cabe à instituição de ensino e aos professores criarem a consciência da autonomia dos alunos e de sua responsabilidade através de experiências tanto em sala de aula, como em outros ambientes.

Deste modo, podemos pensar em diversas maneiras através das quais os professores podem incentivar a autonomia em seus alunos.

De acordo com recente pesquisa (Sanches, 2016), a interação em sala de aula é uma das primeiras formas de fazer com que os alunos passem a ser mais autônomos e responsáveis por seu aprendizado. Através de atividades comunicativas e integrativas (Almeida Filho, 1993), os alunos passam a interagir entre si e a se autocorrigirem.

Através do estudo autorregulado, os alunos podem ser levados a lerem livros diversos, a ouvirem música para analisarem sua letra e para melhorar a pronúncia, a lerem notícias on-line ou impressas, a assistirem séries na televisão, e a escreverem e-mails no trabalho, ou a amigos e parentes, atividades essas que extrapolam as paredes da sala de aula, levando os alunos a terem mais confiança no uso do idioma para fins comunicativos.

Várias outras atividades fora da sala de aula podem ser incentivadas, como a formação de grupos de estudos e de grupos de conversação, a participação em apresentações religiosas na língua alvo, viagens de turismo entre amigos que falem inglês, ou passeios com turistas estrangeiros em trânsito pela cidade, entre tantas outras atividades extra curriculares.

Percebemos, assim, que, além de uma escola excelente, que utiliza uma metodologia de ensino comunicativa e moderna, baseada em estudos científicos, há que se pensar em incentivar a autonomia do aluno, mostrando, aos poucos, os diversos caminhos que o aluno pode seguir para conseguir sua proficiência e fluência na língua estrangeira.

Essa é uma das formas que a CLS – Canadian Language School utiliza para enriquecer o conhecimento de seus alunos, levando-os a serem cada vez mais autônomos e independentes, para que possam usufruir sempre de sua aquisição da Língua Inglesa.

REFERÊNCIAS

ALMEIDA FILHO, J.C.P. de Dimensões comunicativos no ensino de línguas. Campinas, SP. Pontes, 1993.

BENSON, P. Teaching and researching autonomy in language learning. (2nd. Edition).Harlow. Longman, 2011.

DAM, L. Learner Autonomy 3 – From Theory to Classroom Practice. Dublin: Authentik, 1995.

HOLEC, H. Autonomy and Foreign Language Learning. Oxford: Pergamon, 1981.

KRASHEN, S.D. Principles and Practice in Second Language Aquisition. Pergamon Press Incorporation. University of Southern California, 1982.

SANCHES, S.A. O estudante adulto e seu papel no aprendizado da Língua Inglesa – trabalho de conclusão de curso. Fmu, 2016.

VYGOTSKY, L.S. Pensamento e Linguagem. Rio de Janeiro: Martins Fontes, 1998.

 

 

 

10/17/16

Permalink 04:20:32 pm, by CLS Brasil Email , 293 words   English (US) latin1
Categories: News

Might ou may? Qual a diferença? Você sabe usar corretamente?

É muito comum alunos nos perguntarem qual o correto uso do "might" e "may", sendo que muitas das vezes o uso parece um pouco confuso.

Então vamos passar algumas dicas para ajudar vocês a entenderem melhor como usar e principalmente, se sentirem confiantes em quais situações usa-los.

"Might" e "may" são geralmente usados para falarmos sobre possibilidades presentes ou futuras, sendo que "might" sugere menor possibilidade, mas, ao mesmo tempo, é mais usado que "may".

Assim, não há grande diferença no significado quando dizemos, por exemplo: "My friend may speak one more language" ou "My friend might speak one more language". (significando "meu amigo fala mais que uma língua)

Já outro uso para "may" é comum quando fazemos uma pergunta em que pedimos permissão ou ajuda, por exemplo:

"May I come in?"/  "May I help you?" / "May I use the restroom?"

Contudo, "might" não é comumente utilizado nesse tipo de pergunta; ninguém diz "Might I come in?"

Um exemplo de uso comum do "might" em perguntas é quando usamos o condicional, indicando "causa e consequência".

Exemplo de pergunta: "What might happen if we do not pay our bills every month?"

Exemplo de resposta: "If we do not pay our bills, we may/ might not have access to the service."

 

Resumindo, quando fazemos uma pergunta, podemos dizer que o "may" é mais usado para pedirmos permissão; já em perguntas o "might" é usado para suposições.

Ambos podem ser usados para frases no afirmativo quando queremos relatar possibilidades.

Bom, esperamos ter ajudado, mas se ainda assim tiverem alguma dúvida, mandem sua pergunta para nós através do e-mail: cls@clsbrasil.com.br

We hope this post might have helped you understand the English grammar better!

Thanks for reading!

Teacher Phil Thomas - CLS Brasil.

Teacher Sergio Sanches - CLS Brasil.

05/26/15

Permalink 10:15:22 am, by CLS Brasil Email , 232 words   English (US) latin1
Categories: Welcome

Take Your English Writing Skills Seriously

(by teacher Phil Thomas - CLS  Brazil general coordinator).

Writing tips:

1.Divide your writing in four paragraphs. Make sure you divide your writing in clear paragraphs, where the reader can clearly see where one starts and where it ends.

2.In the first paragraph: write a strong topic sentence and introduction of the subject.

3.In the second and third paragraphs: constrast ideas and opinions.

4.In the fourth paragraph: this is the time you wrap up your ideas by presenting a conclusion which has to be linked to the main idea or the opening topic sentence.

5.While you write, consider this: What is the subject about? Determine what kind of verb tenses and vocabulary you are going to use.

6.Do not misspell words; if you are not sure how to write a word, use a synonym.

7.If English is not your native language, make sure to use the proper English language structures; do not translate expressions from one language to another. What makes sense in your native language, might make no sense at all in English.

8.Be objective when writing, do not forget to include essential information, though.

Your fluency in spoken English might mean little if you don't know how to express yourself using the written language.

Think about this very carefully: Am I illiterate when writing in English?

Want some more tips? Feel free to e-mail your doubt to teacher Phil at cls@clsbrasil.com.br

10/22/14

Permalink 11:34:35 am, by CLS Brasil Email , 376 words   English (US) latin1
Categories: News, Fun

Dicas de Como Melhorar Sua Redação.

Escrever não é somente uma arte, mas também uma técnica, portanto, aqui vão algumas dicas que podemos usar para escrever melhor.

O primeiro objetivo de uma redação é chamar a atenção do leitor através de uma frase, que em inglês chama-se "topic sentence", ou seja, que deve ser elaborada de tal modo que aguce a curiosidade do leitor, fazendo com que o mesmo queira continuar lendo.

A partir desta primeira frase, desenvolvemos a ideia principal do texto, defendendo nosso ponto de vista, no caso de estarmos escrevendo uma dissertação; ou criando todo o suspense e enredo no caso de estarmos escrevendo uma narrativa.

Em uma dissertação, desenvolvemos as ideias propostas na primeira frase (topic sentence). Primeiramente, defendemos nossa ideia, dando exemplos para defender nosso ponto de vista, bem como podemos mencionar os problemas referentes ao tópico. Finalmente, chegamos à conclusão sobre nosso tema.

Já em uma narrativa, contamos a estoria de modo a desenvolver o enredo, escrevendo uma sequência de fatos que acontecem com nossas personagens. Precisamos criar uma tensão para a narrativa, e, no final, uma conclusão para esta tensão que foi criada. As narrativas geralmente acabam com um final feliz, mas também podemos escolher um final mais realista para elas.

Quando escrevemos, precisamos também escolher bem nosso vocabulário; precisamos ajustar o "registro", ou seja, uma linguagem formal ou informal. Precisamos pensar cuidadosamente sobre a gramática; e, mais importante que tudo, devemos escrever algo que faça sentido e que seja interessante para nossos leitores.

Todos os escritores possuem uma inspiração para suas redações, mas também precisam escrever de modo claro e objetivo. Assim, após escrever o primeiro rascunho, os escritores releem suas redações, muitas vezes mais que uma vez, mudam palavras, detalhes, escolhem novos sinônimos, ajustam a gramática, e, principalmente, checam se as palavras foram escritas corretamente antes que seus leitores leiam suas obras.

Assim, fica claro que escrever, ou compor, não é somente um ato em que colocamos várias palavras juntas. Como escritores conscientes, precisamos conhecer as técnicas que nos ajudarão a escrever melhor a cada dia. Como escrever é um exercício, quanto mais praticamos, melhor escrevemos!

Prof. Sérgio Sanches (Diretor de Cursos da CLS - Escola Canadense de São Paulo).

Tem alguma dúvida? Gostaria de fazer algum comentário? Escreva para o Prof. Sérgio: cls@clsbrasil.com.br

05/23/14

Permalink 01:30:15 pm, by CLS Brasil Email , 349 words   English (US) latin1
Categories: Fun

Do You Know How to Use the Definite Article "THE" in English? - Part I

Most of our students have doubts how to use the definite article "the". Thinking about a practical way to explain its use, we prepared a brief explanation as you can see below.

We need to use the definite article "THE" before:

Names of oceans, seas, rivers, canals, deserts, mountain ranges, plurals names of people, plural names of countries, groups of islands, theaters, cinemas, hotels, names of newspapers, ordinal numbers, superlative form of adjectives, cardinal points (north, south, east, west), countable and uncountable nouns with specific meaning, nouns such as "sky, sea, ground, country, environment, cinema, theater, radio".

Examples:

The Atlantic Ocean/ The Red Sea/ The Amazon River/ The Suez Canal/ The Gobi Desert/ The Alps/ The Johnsons/ The United States of America/ The Canaries/ The Odeon/ The Othon Palace Hotel/ The Financial Times/ the second/ the best/ the south/ the apples I bought this evening/ the coffee I drank this morning/ the sky/ the sea/ the ground/ the country/ the environment/ go to THE cinema/ go to THE theater/ listen to THE radio.

 

We do not use the definite article "the" before:

Proper names (names of people and places in general), countries, continents, North and South plus continent, cities, states, neighborhoods, countable and uncountable nouns with a general meaning, plural nouns used for a whole class, names of languages used as nouns, names of avenues, streets, roads, squares, parks, important public builiding and institutions such as airports, stations, universities, churches, companies in general, airline companies, names of single mountains, mounts and lakes, prepositions in general, words and expressions such as "breakfast, lunch, dinner, numbered rooms, pages, platforms, next, last".

Examples:

John/ Canada/ Africa/ North America/ Toronto/ Michigan/ apples are good for our health/ coffee is black/ cats are cute pets/ Spanish/ Mapple street/ Central Park/ Buckingham Palace/ Cambridge University/ Victoria Station/ St. Patrick's Cathedral/ IBM/ British Airways/ Mount Everest/ Lake Superior/ by train/ have breakfast/ Gate 10/ page 29/ Platform 05/ next class/ last weekend.

 

This is it for today! If you have any doubts, please feel free to contact us at anytime:

Teachers: Phil Thomas/ Sergio Sanches

E-mail: CLS@CLSBRASIL.COM.BR

1 2 3 4 5 6 7 8 9 >>

December 2017
Sun Mon Tue Wed Thu Fri Sat
 << <   > >>
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
31            

Search

XML Feeds

b2